André Rosa fala sobre as diferenças entre atuar no teatro e nas telinhas

Ator fala sobre a importância da família na sua carreira.

Fotos: Sergio Santoian


Natural de Cabo-Frio, o ator André Rosa revela que antes de ingressar por completo na carreira de ator, chegou a estudar Arquitetura! Neste bate papo exclusivo para a Mais Mais Mais, André falou sobre sua preparação para viver o personagem Simas, em ‘Jesus’, nova trama bíblica da Rede Record. Além disso, falou sobre sua trajetória no teatro e planos para o futuro em um clima super descontraído.

O que te motivou a entrar na área artística? Fui entrando na carreira de ator aos poucos. Eu sou o primeiro artista da família, apesar dos meus familiares serem pessoas bastante expressivas. Cheguei no Rio de Janeiro com dezesseis anos para trabalhar como modelo e comecei a fazer cursos de interpretação para poder me sentir mais à vontade. Percebi que o meu interesse não era comum em relação a profissão de ator e comecei a estudar muito! Me vi completamente dedicado e consequentemente recebendo retornos de mestres sobre a minha evolução. Isso me motivou bastante a continuar. Hoje não me vejo fazendo outra coisa.

Como foi o início? Teve apoio da família? O início de tudo é sempre muito complexo por não sabermos por onde começar. Nós romantizamos muito essa profissão do ator. Depois de alguns anos trabalhando, eu fui entendendo o meu lugar no meio de todo esse turbilhão. E a minha família tem um papel muito importante na minha vida. Todos eles me dão muito apoio e vibram com cada conquista. Isso faz toda a diferença! Eles são o amor da minha vida.

Já pensou em seguir outra carreira? No começo, minha mãe pediu que eu tivesse um plano B por reconhecer que o caminho não seria um mar de rosas. Comecei a fazer arquitetura e estudar teatro ao mesmo tempo. Não consegui conciliar as duas coisas e foi a primeira vez que tive que fazer uma escolha decisiva na minha vida. Quais os principais desafios da carreira? Eu acredito que se manter resistindo é pra mim um dos grandes desafios. A arte no nosso país não possui grandes incentivos e acaba se tornando sucateada. Acabamos tendo que conciliar com outros trabalhos e por consequência disso não focamos completamente em uma coisa só. Pelo lado artístico, eu acredito que não se deixar levar pelas ilusões inerentes à profissão, é o que nos mantém com os pés nos chão.

O que mais te inspira na profissão? Sempre fiquei intrigado e curioso em como as pessoas se comportam para chegar em seus objetivos e conquistar o que mais desejam. Poder contar histórias dando vida e voz a personagens é apaixonante.

E qual o seu trabalho dos sonhos? Eu não tenho muitas pretensões e obcecação por um tipo de personagem. Acho interessante os personagens Shakespearianos. Gostaria de participar de adaptações de escritores brasileiros (Jorge Amado, Suassuna). Tenho medo de eleger um personagem da minha vida e de alguma forma acabar me frustrando.

Como foi a sua preparação para viver seu personagem em ‘Jesus’? Foi tudo muito rápido. Estava viajando e recebi uma ligação dizendo que eu faria parte da novela. Tive que antecipar a passagem numa quarta feira e na sexta já estaria gravando. Me preparei dentro do avião (risos). A minha sorte é que já tinha feito alguns trabalhos bíblicos, o que acabou me ajudando a dar voz ao Simas.

Conte um pouco a respeito do seu personagem; você se identifica com ele? O meu personagem é bastante invejoso, sarcástico. Ele não aceita e não acredita que o próprio irmão tem todo o poder e importância que as pessoas dizem. Eu entendo, mas não me identifico nada com esse comportamento. Me considero um cara espiritualista. Acredito muito na força desse homem que nos deixou todos esses ensinamentos.

Tem algum ritual ou mania antes de entrar em cena? Cada personagem eu crio um ritual diferente. Mas na maioria das vezes eu gosto de ir pro meu canto e ficar em silêncio.
Você também atua no teatro, certo? Quais as principais diferenças entre as telinhas os palcos? Sim. Eu trabalhei mais no teatro do que na tv. Estou aprendendo bastante com a agilidade que a televisão exige. Não pode dormir no ponto! O teatro você acaba tendo mais tempo pra ensaiar, aprofundar personagem. Cada veículo tem a sua dor e a sua delícia.

No teatro, você recebeu muitos elogios por seu trabalho em ‘Alair’; pode nos contar um pouco sobre essa experiência? Alair foi um dos maiores fotógrafos brasileiros que já tivemos. Foi assassinado de uma forma absurdamente covarde. Uma pessoa dotada de um olhar extremamente rebuscado. Eu fiquei encantado com a história dele. Precisava fazer com que essa história fosse passada com o maior respeito e cuidado possível. Trabalhei ao lado de grandes profissionais como Edwin Luisi e César Augusto (Cia dos Atores). Eles foram muito generosos comigo e aprendi muito com eles. O resultado não poderia ter sido outro.

E sobre o futuro, tem algum projeto novo que possa nos contar? Eu fui convidado pra três peças esse ano. Estou filmando um curta metragem (mudo) que será enviado para festivais internacionais. Gravarei um clipe com um um amigo conterrâneo cabo-friense. E quero sim, trabalhar com mais produções televisivas.


PING PONG

  • Signo: Escorpião
  • Altura: 1,84
  • Apelido: Não conseguiram essa proeza
  • Qual é sua maior qualidade? Respeito
  • E seu maior defeito? São tantos (risos)
  • O que você mais aprecia em seus amigos? A lealdade
  • Quais são seus hobbies? Livros, body-board, pipa, futebol
  • Qual é sua ideia de felicidade? Um amor, um cachorro, uma casa com grama e crianças correndo
  • Quem você gostaria de ser se não fosse você mesmo? Bob Marley
  • E onde gostaria de viver? Amo o Brasil mas viveria bem em Bali
  • Qual é sua viagem preferida? Tenho o sonho de conhecer a África do Sul
  • Qual é sua cor favorita? Preta
  • E qual é sua comida favorita? Pizza
  • Um animal: Elefante
  • Quais são seus atores preferidos? Heath Ledger, Adrien Brody, Christian Bale, Edward Norton, Bryan Craston, Wagner Moura, Irandhir Santos, Raul Cortez, Javier Bardem, Geoffrey Rush, Julianne Moore, Cate Blanchett, Isabelle Hupertt, Cassia Kis… E por aí vai
  • E seus cantores? John Mayer, Steven Tyler, Nina Simone, Etta James, Péricles, Caetano Veloso, Chico Buarque, Dave Grohl, Eddie Veder, Criolo, Emicida, Maria Bethânia, Marisa Monte. Eclético, né? Curto Belo também
  • O que você mais detesta? Desrespeito
  • Que dom você gostaria de possuir? Dom da retórica. Acho bonito quem consegue expressar claramente as ideias que tem
  • Uma mania: Café
  • Um sonho de consumo não realizado: Uma casa na Gávea (bairro na Zona Sul do Rio)
  • O que mais te irrita? Desigualdade
  • O que ou quem é o maior amor de sua vida? Minha mãe
  • O que você considera a sua maior conquista? Ter reconhecimento no meu trabalho
  • Defina-se em uma palavra: Coragem