Daniel Warren segue conquistando o público

Veia artística do ator e professor marcou gerações.

Fotos: Brown 


Quem assiste “Deus Salve o Rei” pode conhecer o ator que interpreta Orlando de algum outro lugar. É que Daniel Warren esteve no comando do programa “Art Attack”, da Disney, durante 12 anos, ensinando crianças a fazer arte. Daniel desenvolveu o programa “Click”, também para estimular o lado criativo infantil. Além desse programas, Warren tem experiência nos palcos, e fez parte da série “A Teia” (2014). Em entrevista exclusiva, ele falou sobre seus trabalhos marcantes e estreia em novela, na trama das sete da Globo.

Quando surgiu o interesse pela atuação? Desde que me entendo por gente, já fazia teatro na escola. Acho que comecei com 8, 9 anos e nunca mais parei. Era um curso extra curricular e o professor se chamava Luca Millani. Ele foi meu professor de teatro até os 17 anos, quando me formei na escola. Depois de um tempo ele precisou viajar e deixou a turma dos pequenos comigo. Tinha 20 anos e comecei a dar aulas de teatro para crianças desde então.

Você passou por um período de incerteza em relação a qual carreira seguir. Em qual área pensou? Essa “crise” aconteceu quando estava no ensino médio. Quando pensava o que queria prestar de faculdade e etc…comecei a perceber que carreira de ator era algo sério, que eu não tinha como fugir, que era o que eu tinha vindo fazer aqui nessa vida… Cheguei a prestar História e Cinema. Mas passei no teste do Indac-Escola de Atores e decidi seguir adiante. Depois desse período difícil, tive certeza que era isso mesmo que deveria fazer.

Como foi a experiência no “Art Attack” e “Click”? O período do Art Attack foi bem especial, pois era bem jovem e tive que gravar fora do país. Então foi uma aventura em dobro. Fui pra Inglaterra com 23 anos, com equipe de lá, produção de lá e aprendi muito sobre TV nessa época. Fora que estava pela primeira vez na Europa e nos intervalos das gravações pude ver muito coisa e viajar bastante. Foi um período muito rico!  Já o Click é um projeto meu. Que fui concebendo aos poucos durante os anos que trabalhava como professor. Tive a oportunidade de realizar essa minha ideia com uma estrutura bacana, em parceria com a Nalaje Filmes e Gloob. E foi um outro aprendizado, aí mais sobre produção de conteúdo pra TV, pois estava envolvido na concepção dos roteiros, cenários, figurinos, nas artes, enfim, tudo!! Foi muito enriquecedor também!!

Fale um pouco sobre a função de professor. Ser professor pra mim tem algo de revolucionário. Poder conduzir alguém a chegar a uma descoberta, a se descobrir de uma outra maneira, a crescer e se transformar é algo que não tenho nem como descrever em palavras. De um jeito muito concreto, a gente se sente transformando o mundo!

Como você enxerga o retorno do público com o seu trabalho? Ainda hoje recebo muito o carinho do público! É muito bom por que hoje em dia o pessoal que assistia o Art Attack já está grande, fazendo faculdade e tudo! E quando descobrem então que estou na novela é uma festa! Dou muita risada e fico muito feliz de receber esse carinho todo.

Gostaria de fazer algum outro trabalho para as crianças? Sim, tenho muitas ideias que gostaria de realizar. Queria fazer um programa rodando o Brasil todo e levando uma criança de uma região pra brincar com as de outra região. Pra trocar experiências. Pra mostrar como nosso país é grande.

Fale sobre sua estreia nas telinhas. Minha primeira novela. Foi muito importante ter a preparação que tivemos, pois foram 4 semanas intensas onde a gente falou de interpretação para TV, de dança medieval, andamos a cavalo, etc…E mais importante, pude entrar em contato com as pessoas que iriam ser meus companheiros pelos próximos 9 meses!! Confesso que achei tudo muito grande, dimensões épicas, tudo com um grau de excelência… Foi muito bom entender como funciona essa grande fábrica.

Qual seu trabalho mais marcante? Acho que a gente se apaixona pelos projetos que estamos fazendo né? Estou muito contente de estar onde estou, nessa novela tão especial. Muito feliz de estar com meu espetáculo, o “Pontos de Vista de um Palhaço”, ter sido indicado ao Prêmio Shell, estar lançando um livro, etc… Claro que penso em projetos futuros e sonho em fazer séries e cinema. Mas tudo ao seu tempo. Estou no presente. Acho que é assim que chego nos meus sonhos.

Foi difícil a adaptação de São Paulo para o Rio? Tive que me adaptar mesmo pois nunca tinha passado um período tão grande aqui. Confesso que não é fácil estar longe de casa, da minha esposa…Mas o Rio é lindo e me acolheu muito bem!!

O que faz para desestressar? Tocar violão. Andar de bike. Ver séries. Não necessariamente nessa ordem.

Como cuida do corpo e da mente? Alimentação boa para o corpo e a mente. Às vezes é difícil não se alimentar de coisas junky. Aí é hora de meditar e limpar.

Quais os próximos projetos? Depois da novela, entro em cartaz mais uma vez com o “Pontos de Vista em São Paulo”. E para o final do ano estou estudando proposta de outro espetáculo. Quem sabe pinta mais um personagem na TV…

Ping-pong 

• Nome: Daniel Warren
• Idade: 40
• Local de nascimento: São Paulo
• Altura: 1,68
• Apelido: Dani
• Qual é sua maior qualidade? Obstinação.
• E seu maior defeito? Obstinação.
• O que você mais aprecia em seus amigos? Humor.
• Sua atividade favorita é: Sexo.
• Qual é sua ideia de felicidade? Lugar lindo, arte, pessoas abertas.
• Quem você gostaria de ser se não fosse você mesmo? Muitas pessoas por apenas um dia: Buda, Bob Dylan, Charlie Chaplin, Neymar…
• E onde gostaria de viver? Gosto muito de onde vivo. Minha casa é linda e sempre vou voltar pra lá. Mas gostaria de morar em NY.
• Qual é sua cor favorita? Azul Matisse, rosa velho, mostarda, vermelho velho, cinzas…
• E qual é sua comida favorita? Alcachofra.
• Um animal: Cachorro.
• Quais são seus atores preferidos? Charlie Chaplin, Buster Keaton, Stan Laurel, Robert De Niro…
• E seus cantores? Arnaldo Antunes.
• O que você mais detesta? Imposição da ignorância.
• Que dom você gostaria de possuir? Cura pra mim e pra todos.
• Um sonho de consumo não realizado: Uma moto vintage pequena.
• Uma lembrança de infância: Jogar bola até não aguentar mais, na vila de paralelepípedos em que morava.
• O que o irrita? Ser enganado.
• O que ou quem é o maior amor de sua vida? Andrea Dupré.
• O que você considera a sua maior conquista? As pequenas conquistas pessoais que me melhoram como ser humano.
• Qual é o seu maior tesouro? Difícil…Mas acho que são as experiências que tenho com outras pessoas. Minha família, minha esposa, meus amigos.
• Defina-se em uma palavra: WarrenshapftausenspecialloveIdeicriatiffanplay.