Davi Tápias é muitos em um só


Ator comemora sucesso da turnê de “Senhor das Moscas”.

Fotos: Divulgação/Allan Bravos


Davi Tápias é um capixaba que passou a se interessar pela arte ainda criança, com certa influência do pai. Foi se descobrindo na área, aprofundando conhecimentos em dança, interpretação e canto. Com experiência no exterior, ele pôde desenvolver-se melhor pessoal e profissionalmente. Sua carreira foi marcada pelo personagem Thiago, protagonista da peça “Lembro Todo Dia de Você”, jovem soropositivo. Atualmente está em “Senhor das Moscas” em um papel diferente do que interpretou na outra temporada. Em entrevista exclusiva, ele revelou o que vem por aí.

Seu primeiro contato com a arte foi através da música. Teve alguma influência em casa ou o interesse partiu de você? Curiosamente, fui um dos primeiros da família a enveredar pelo caminho das artes. Meu pai gostava muito de música e brincava com o violão e percussão, acho que foi daí que pedi para estudar piano ainda criança.

Como nasceu o interesse pela atuação? O teatro sempre fez parte da minha vida. Ainda criança, eu e meu primo (um ator que hoje eu admiro muito) passávamos o dia todo alternando entre personagens, dramatizando cenas da família e apresentando para os parentes. Mais velho, descobri o poder do teatro e tive certeza de que era isso que tinha que fazer pro resto da minha vida.

Você já passou pela Escócia e pelos Estados Unidos. Quais as maiores experiências vividas no exterior? O maior aprendizado de uma temporada fora é o quão distante você fica de suas referências. A renovação é muito importante para um ator – e não só a profissional, técnica, mas também a pessoal. Na Escócia, terminei no ensino médio e cursei teatro em paralelo ainda bastante jovem. Em Nova York, já fui estudar depois de várias experiências profissionais no Brasil, então sinto que já conseguia absorver melhor tudo o que vinha de novo.

 Tem vontade de sair do país novamente? Sim, bastante. Pela minha formação acadêmica em Comunicação, ainda tenho vontade de completar meus estudos em uma pós ou até mesmo um doutorado (Quem sabe?). Sinto que este campo dialoga bem com os estudos cênicos. Algumas escolas de atuação também estão nos sonhos como a Ecole Jacques Lecoq, na França e o Estúdio Juan Corazza, na Espanha.

 Apesar de tantos trabalhos, ainda sente aquele frio na barriga? Sempre! Essa é a melhor parte. Todo dia, depois do terceiro sinal, vem aquele friozinho na barriga.

Atualmente você está em “Senhor das Moscas”, dando vida ao Ralph. Fale um pouco sobre a peça e o personagem. Senhor das Moscas foi o espetáculo que tive o prazer de fazer no ano passado e de retornar agora para a turnê pelo interior de São Paulo. Na primeira temporada, eu interpretei Henry, um menino de 7 anos que pertencia ao grupo do Jack, interpretado por Ghilherme Lobo. Já nesta temporada, fui ensaiado para ser substituto do Bruno Fagundes, que criou o Ralph. Agora para a turnê eu assumo o personagem e troco de grupo na peça, indo confrontar Jack junto da minha turma.

O que te inspira no trabalho? A peça foi a primeira vez em que participei de um processo tão longo onde pude aprender com tantos profissionais diferentes. Além de confiar plenamente no trabalho do Zé Henrique de Paula e de toda a direção artística do Núcleo Experimental, pude testemunhar processos de criação incríveis, como no caso do próprio Ralph de Bruno Fagundes. A construção dele me inspirou muito durante a temporada e exatamente por isso, é um desafio substituí-lo nesta turnê.

Tem um gênero teatral favorito? Gosto de Teatro. Teatro que dialoga, significa e tem um porquê de existir. Pode parecer romântico, mas é um tipo que demanda tempo  para encontrar.

Tem algum trabalho dos sonhos? Sou fã das peças do Neil LaBute, Nick Payne e Sondheim. Acho que Puck, de Sonho de Uma Noite de Verão seria um presente pra qualquer ator, né? No gênero musical, o personagem Bobby, de Company, é um sonho pra quando ficar mais velho (e pra dar tempo de estudar muito pra fazer direito ;).

Quais são os seus hobbies? Meus hobbies têm bastante relação com meu trabalho, o que é ótimo. Logo, ir ao cinema, ao teatro e ler bastante sempre foram coisas que amei fazer. Atualmente tenho descoberto um novo lifestyle ao andar de bicicleta pela vizinhança nova.

Por fim, quais os planos pessoais a profissionais para o futuro? Expandir os horizontes da carreira sempre é uma meta. Atualmente estou gravando um filme, que será minha primeira experiência em um longa metragem no Brasil. Estudar e renovar repertório sempre vai ser uma busca também. Se tem algo que puxei da minha mãe foi ser um estudante compulsivo.

Ping-Pong

• Nome: Davi Tápias
• Idade: 28 anos
• Local de nascimento: Vitória, ES
• Altura: 1,71
• Apelido: Meus irmãos me chamam de Dave.
• Qual é sua maior qualidade? Acho que sou um bom amigo.
• E seu maior defeito? Como todo sagitariano, a tendência pro exagero e drama.
• O que você mais aprecia em seus amigos? A sensibilidade de conseguirmos ler uns aos outros.
• Sua atividade favorita é: Fazer teatro.
• Qual é sua ideia de felicidade? Amar o trabalho, fazer coisas relevantes, amar, gatos, café e vinho.
• Quem você gostaria de ser se não fosse você mesmo? Eu mesmo (que pode ser o Batman, e vez em quando).
• E onde gostaria de viver? Onde fizer sentido no momento da vida.
• Qual é sua viagem preferida? Amsterdã com a minha amiga Nathalia e qualquer lugar com minha família e irmãos (mas em especial Orlando, claro).
• Qual é sua cor favorita? Preto.
• E qual é sua comida favorita? Pamonha (juro!)
• Um animal: Pandas. (Gatos para ter em casa)
• Quais são seus atores preferidos? Ricardo Darín, Daniel Day Lewis, Ian McKellen.
• E seus cantores? Liza Minelli, Regina Spektor, Roberto Carlos e Sérgio Sampaio.
• O que você mais detesta? Calor.
• Que dom você gostaria de possuir? Voar.
• Uma mania: Sentar de frente pra porta.
• Um sonho de consumo não realizado: Varinha mágica.
• Uma lembrança de infância: Roça, geleia de mocotó e desenhos.
• O que o irrita? Estar entediado e não poder ir embora de um lugar.
• O que ou quem é o maior amor de sua vida? Amo pessoas.
• O que você considera a sua maior conquista? Fazer minha avó se orgulhar de vez em quando.
• Qual é o seu maior tesouro? Minhas amigas-irmãs que tenho desde bebê: Thais, Larissa e Fernanda.
• Defina-se em uma palavra: Muitos.