Geovanna Tominaga e sua vasta experiência

Repórter, apresentadora, atriz, dançarina e, em breve, casada!

Fotos: Denise Ricardo


Ligada à comunicação desde nova, Geovanna Tominaga marcou toda uma geração como apresentadora da TV Globinho. Ao longo da carreira, ela também cantou, fez reportagens, atuou no teatro e na televisão. Atualmente participa do reality show de dança “Dancing Brasil”, da Record. Em entrevista exclusiva, ela relembrou sua trajetória, falou sobre hábitos e desejos.

O que te levou para o ramo da televisão? Na verdade, foi a dança e a música. Eu fazia ballet quando criança e gostava de cantar e dançar. Primeiro, montei um grupo de dublagem com as minhas primas e depois comecei a fazer shows infantis cantando. Quando fiquei sabendo de um quadro de novos talentos no programa da Angélica, na TV Manchete. Levei meu material e o diretor perguntou se eu não queria fazer teste para angeliquete. Aceitei e nunca mais saí da TV.

Você começou sua carreira como Angelicat, as famosas dançarinas da Angélica. O quanto isso foi importante e o que recorda dessa fase? Foi muito importante! Eu trabalhei com a Angélica dos 12 aos 20 anos. Éramos uma turma muito unida, muito família mesmo. As meninas eram as irmãs que eu não tive. Aprendi tudo que sei com a Angélica e foi inesquecível.

Logo depois, você participou de algumas novelas até estrear como apresentadora da TV Globinho, um de seus trabalhos mais marcantes. Como é ser lembrada até hoje por isso e ter sido referência para muitas crianças? É incrível! Eu nunca havia pensado em ser apresentadora, sempre fui muito tímida. Quando veio o convite para o teste da TV Globinho eu me joguei e acabei descobrindo um universo lindo. Trabalhar para as crianças é mágico e uma grande responsabilidade. Quando lembram dessa fase, sinto muita saudade.

Depois de muitos anos, você voltou a atuar em novelas em “Sol Nascente”. Hoje você possui preferência entre atuar, fazer reportagem ou apresentar? Não acho necessário o rótulo. Eu digo que sou bichinho da comunicação, mas também amo atuar. É quando podemos deixar de sermos nós mesmos pra vivermos outras aventuras. O legal é poder fazer de tudo e utilizar nossas habilidades em diferentes áreas.

Sobre aquela saia justa com a Susana Vieira, recordada por muitos, houve alguma mágoa? Você teve contato com a Susana posteriormente? Não houve mágoa. Nunca me senti ofendida pelo o que ela disse. Até porque, naquela época, eu já somava 17 anos de carreira. Ela não sabia dessa informação e fez um comentário infeliz. Nos encontramos depois e até brincamos com a situação. O que eu não acho legal é que essa frase acabou se transformando numa espécie de bullying, repetido e propagado por pessoas e até grupos comerciais. Numa sociedade onde a discussão sobre direitos humanos e igualdade social só ganha importância, não cabe mais vangloriar esse tipo de atitude.

Conte sobre a participação no “Dancing Brasil”, da Xuxa. Como foi a preparação? Fiquei muito feliz com o convite. Tivemos pouco tempo para nos preparar para essa competição. Tivemos uma semana de convivência pra aprender um pouco mais sobre os ritmos e foi só. A competição já começou. Mas eu estou com um professor incrível, bailarino excepcional, que é o Lucas Teodoro. Ele está me guiando lindamente nessa trajetória do “Dancing Brasil 3”.

Logo na estreia, você e o Teo se destacaram na apresentação. Como estavam as expectativas? Nós nos dedicamos muito ao foxtrote na semana de ensaios, mas eu realmente não esperava que o resultado seria tão maravilhoso. Até minutos antes, eu tinha dúvidas se o pé estava correto, se as mãos estavam no lugar certo. Conversei com o Teo e ele disse que era pra gente respirar fundo e dançar. Me entreguei naquele palco e ao final estava tomada por uma emoção tão grande que nem conseguia falar.

E estar ao lado de um ícone como a Xuxa, como é? Ela é o máximo! Alegre, divertida, generosa… Estar ao lado dela nessa temporada será um grande aprendizado pra mim.

Agora falando mais sobre seus gostos: você gosta de moda ou segue algum estilo? Adoro moda e digo que sou eclética. Acompanho o humor do dia, às vezes acordo romântica, às vezes rock’n’roll. Gosto de saber o que está rolando, mas não sigo a cartilha. Acho que temos que saber o que nos cai melhor e o que imprime a nossa personalidade.

Quais os cuidados com a boa forma, dieta e exercícios? Com o “Dancing Brasil”, houve mudança na sua rotina? Sempre cuidei da alimentação e adoro me exercitar. Agora, com o Dancing, o cuidado é redobrado porque preciso de muita energia pra enfrentar a maratona de ensaios e apresentações. Estou seguindo uma dieta com mais proteína, gordura boa e carboidratos do bem. Preciso comer mesmo porque ainda pratico ashtanga yoga e spinning na academia.

E truques de beleza, utiliza algum? Acho que filtro solar, água, bom-humor, blush e um bom par de cílios postiços fazem o serviço.

Quais os projetos para o futuro, tanto profissional quanto pessoalmente? Vou me casar após o fim do Dancing Brasil. Quando veio o convite, tivemos de adiar a data. Queria ter tempo para curtir os preparativos com mais tranquilidade. O Eduardo está gostando muito de conhecer esse meu lado “dançarina”! A primeira vez que ele me viu dançar foi na estreia do programa. Ele estava lá e se emocionou de verdade. No plano profissional, quero continuar atuando na comunicação. Quem sabe não volto a apresentar um programa? Ideias não faltam.

Ping-Pong

• Nome: Geovanna Tominaga
• Idade: 37 anos
• Local de nascimento: São José dos Campos
• Altura: 1,60
• Apelido: Japa
• Qual é sua maior qualidade? Sinceridade
• E seu maior defeito? Perfeccionismo
• O que você mais aprecia em seus amigos? A lealdade e parceria
• Sua atividade favorita é: Dança
• Qual é sua ideia de felicidade? Uma família saudável e unida
• Quem você gostaria de ser se não fosse você mesmo? Um andarilho
• E onde gostaria de viver? Pelo mundo
• Qual é sua viagem preferida? Japão, Israel, Patagônia… Difícil escolher
• Qual é sua cor favorita? Lilás
• E qual é sua comida favorita? Massa
• Um animal: Cavalo
• Quais são seus atores preferidos? Meryl Streep e Edward Norton
• E seus cantores? Ella Fitzgerald e Elvis Presley
• O que você mais detesta? A falta de respeito com o outro de todas as formas
• Que dom você gostaria de possuir? Do teletrasporte, para poder visitar minha família sempre que sentir saudade
• Uma mania: Comprar livros
• Um sonho de consumo não realizado: A minha aliança de casamento com o Edu
• Uma lembrança de infância: Domingo de manhã em casa, com cheiro de café ao som dos Beatles e dos Rolling Stones
• O que a irrita? Gente que não respeita fila! E fila. Em zigue zague, vazia… rs
• O que ou quem é o maior amor de sua vida? Meus pais e irmãos
• O que você considera a sua maior conquista? O respeito daqueles que admiro
• Qual é o seu maior tesouro? Minha família, sem dúvida
• Defina-se em uma palavra: Impossível