Giovana Cordeiro gosta de estar em constante movimento

Atriz comemora sucesso obtido pela personagem em “O Outro Lado do Paraíso”.

Fotos: Vinícius Mochizuk


O universo artístico sempre chamou a atenção de Giovana Cordeiro. Com o passar do tempo ela foi amadurecendo a ideia de ter isso como meio de vida e, hoje, atuar é sua maior paixão. A carioca teve em “O Outro Lado do Paraíso” o seu primeiro papel de destaque nas telinhas ao interpretar Cleo, mulher que passou por intensas mudanças ao longo da trama. E por falar em mudanças, a atriz resolveu assumir a forma natural dos cabelos deixando a química de lado, e através das redes sociais compartilha relatos e dicas com as seguidoras. A atriz contou sobre a transição, carreira e mais.

Você sempre pensou em ser artista. O que te influenciou a entrar nessa área? Esse mundo sempre me chamou atenção de alguma forma, sempre gostei de forma natural por arte, música, interpretação, desenho… Algumas coisas me fascinam. Eu não me lembro se houve algum momento exato que eu decidi ser, mas eu fui amadurecendo a ideia enquanto cursava meu último ano no colégio, comecei a procurar cursos, faculdade. Depois que finalizei, eu fiz um curso e seis meses depois tive a certeza que era isso queria para a minha vida, fui para a faculdade de artes cênicas e me encontrei. Entendi o que eu devo fazer da minha vida.

Como você viu o retorno do público com a Cleo? Eu acho sempre muito carinho e surpreendente até. Participar de uma novela das nove, ainda mais a nossa que foi um sucesso e tanto, é muito diferente. A repercussão é outra, a internet bomba de notícias sobre a trama, brasileiro ainda é apaixonado por novelas e eu comemoro tudo isso!

Fale um pouco sobre a sua relação com o Tomazini dentro e fora de cena. Eu e o Anderson nos demos muito bem, não de cara (risos), mas assim que soubemos que seríamos par, trocamos muito sobre o que poderia ser e como a gente ia lidar com esse momento novo na novela, e encaixou a parceria. Acho que isso transpareceu muito para quem assistiu e o casal foi muito bem aceito. Além da conexão profissional, a gente criou uma amizade, mesmo. Ele já sabe que pode contar comigo e eu sei que posso contar com ele. Uma amizade que quero levar para depois da novela! A gente torce muito um pelo outro.

Qual o trabalho dos sonhos? Joana de “Gota D’água” [peça] seria uma personagem que eu ia me realizar muito em fazer no teatro ou quem sabe em uma adaptação para TV ou cinema…

O que te inspira na profissão? Eu gosto muito das descobertas durante um processo de criação, tanto pessoais quanto sobre o ser humano no geral. Essa é a nossa matéria-prima, a gente quer sempre explorá-la mais. Sempre amei observar as pessoas, fico cada vez mais obcecada por isso e menos julgadora, a gente tenta entender todos os por quês e mesmo sem razão a gente amplia a mente, porque também assume que se pode errar.

Você passou por transição capilar e está prestes a completar quatro anos sem química. Por que decidiu mudar? Começou a perder o sentido para mim, quando me perguntavam porque eu alisava eu não tinha mais resposta que me convencesse. Eu nunca achei meu cabelo feio, só achava ele muito trabalhoso. Alisei numa época que todo mundo alisava e realmente naquela época facilitou a minha vida porque eu não sabia como cuidar do meu cabelo e nem tinha tantas informações, a solução em tudo o que eu via era alisar. Com 13 anos aquilo foi a melhor saída. Eu tenho uma sobrinha que tem o cabelo cacheado e eu amo ser uma das referências dela, isso me estimula muito, queria que ela tivesse alguma identificação porque vejo o quanto isso é importante até porque isso faltou um pouco para mim.

Enfrentou muitas dificuldades durante essa fase? Eu fui muito tranquila durante a minha transição. Eu achava bonito, já achava que era o meu cabelo enrolando. Quando queria ele mais arrumado fazia uma chapinha, depois passei para o babyliss, mas no dia a dia eu amarava ele de umas formas doidas e amava! Era isso! Não cortei totalmente, fui cortando os pouquinhos então demorou mais, mas eu não me incomodava. Depois só senti a necessidade de passar a nutri-lo mais do que usar o calor.

Quais as dicas você dá para quem quer passar pela transição também? Eu falo muito isso no meu instagram: aguenta firme! Porque não é fácil para quem via o cabelo sempre liso e arrumado, passar por uma transição onde ele demora para ganhar forma. Então eu digo sim para ir no início ainda usando ou o baby ou a prancha para quando quiser ele mais definido, lenços também são ótimos (eu amo!), descobrir penteados e hidratar sempre!!!! Não adianta, você tá saindo de uma fase de muita química no cabelo, ele vai pedir um cuidado maior.

Tem algum truque para manter os cachos tão volumosos e hidratados? Óleo de côco para hidratar durante a noite e enxaguar bem durante a manhã, fazer hidratação de dez em dez, quinze em quinze dias no salão ou em casa mesmo, e ir testando leave in e produtos para o seu cabelo, porque cada um reage de uma forma e cada um também tem uma finalidade. Eu saio testando!

Além dos cuidados com os cabelos, quais os seus outros macetes de beleza? Protetor solar sempre! Esse foi um hábito que melhorou muito a minha pele. Além disso é muito importante limpar muito bem a pele depois da maquiagem e tentar só lavar o rosto com um sabonete especifico para o rosto, tem vários bons e baratos que ajudar a não deixar a pele oleosa.

Como mantém a boa forma? Eu tô sempre fazendo exercícios. Não faço dieta, mas procuro me alimentar bem. Nada com muita restrição e rotina, faço muito mais pelo prazer, tanto o prazer de praticar esportes quanto pelo prazer de se ver e sentir bem.

O que gosta de fazer nas horas livres? Gosto sempre de estar na praia, aproveitar o sol quando eu posso, gosto de ficar sozinha, acho que é isso o que eu mais faço, mas também amo encontrar, sair com a família e amigos.

Qual a sua relação com a moda? Segue as tendências? A gente acaba seguindo sem nem perceber. Eu sempre gostei de moda, agora voltei a ficar mais curiosa com essa meio. Ainda mais depois que a Carol entrou na minha vida, ela é minha stylist e muito minha amiga, trocamos referências sempre. Ela vai me ensinando que não tem nada de fútil na moda, é mais uma arte de se expressar. Olhar com esses olhos dá até mais vontade de por mais da gente no que a gente veste e brincar com isso.

Qual peça não pode faltar no seu guarda-roupa? Um vestido solto, preto de preferência que dá pra usar de dia, de noite, tênis, salto, chinelo… Amo roupas práticas e estilosas.

Com o fim da novela, quais os próximos projetos? Eu tenho um projeto no teatro para começar a ensaiar, também quero estudar, viajar. Vou organizar o meu tempo e ver o que dá para fazer. Quero sempre estar trabalhando! Isso em primeiro lugar sempre!

Ping-Pong
• Nome: Giovana Cordeiro
• Idade: 21 anos
• Local de nascimento: Rio de Janeiro
• Altura: 1,67
• Apelido: Vários! Gi, Gigi, Gio, Jhou, Bibi, Jo, Jojo, Gika, Gibi… Cada pessoa me chama de um jeito e eu amo!
• Qual é sua maior qualidade? Eu acho que eu sou muito motivadora, eu gosto de fazer isso pelas pessoas, de subir a autoestima e incentivá-las.
• E seu maior defeito? Gosto de fazer as coisas no meu tempo, fico um pouco egoísta por isso. 
• O que você mais aprecia em seus amigos? Sempre que conheço alguém, eu reparo como essa pessoa trata outras pessoas, na rua, em casa, numa festa, num restaurante… Gosto e admiro pessoas que lidam com empatia e educação.
• Sua atividade favorita é: Trabalhar!
• Qual é sua ideia de felicidade? Penso muito sobre isso. Felicidade está muito próxima de estar em paz e isso não tem a ver com a ausência de problemas, mas tem a ver com dar o tempo certo para as coisas. Me sinto realmente feliz quando consigo entregar um pouco as coisas para o tempo e assumir e reconhecer que tem coisa que eu simplesmente não posso mudar. Se eu posso mudar, eu faço, então está tudo caminhando sem maiores preocupações, assim dá tempo da gente olhar para vida e sentir que estamos presentes.
• Quem você gostaria de ser se não fosse você mesmo? Ninguém. Não consigo pensar nisso e nunca nem quis ser outra pessoa se não eu. Gosto de descobrir mais sobre mim, ao invés de me projetar na vida de outra pessoa, nada é perfeito e sigo a ideia de que a nossa vida está do jeito que a gente quer que ela esteja, de uma forma ou de outra.
• E onde gostaria de viver? Ah eu tenho o plano de me mudar para algum canto que fuja um pouco do clima de cidade grande sem precisar me isolar. Eu gosto de estar mais perto da natureza, mas não é nenhum sono distante. É um plano que estou trabalhando para realizar.
• Qual é sua viagem preferida? A minha última foi muito especial, apesar de ter sido rápida. Fui para a serra com a Patrícia Elizardo e foi muito importante para nós duas. Foi ótimo passar uns dias de paz com uma amiga que amo tanto.
• Qual é sua cor favorita? Azul.
• E qual é sua comida favorita? Poderia ser TODAS, mas sempre que como arroz, farofa, molho à campanha, batata e picanha o coração dispara de felicidade (risos).
• Um animal: A Jolie, minha vira-lata que amo!
• O que você mais detesta? Quando dizem que eu não vou conseguir fazer algo que quero. Se eu quero, eu vou pelo menos tentar!
• Que dom você gostaria de possuir? Queria o dom de ouvir mais os conselhos da minha mãe (risos) para ouvir menos “eu te avisei, Giovana!”
• Uma mania: Varrer a casa, deixar o lixo num canto e não catar.
• Um sonho de consumo não realizado: Uma casa para a família, que enfim caiba todo mundo e todos os agregados que estão sempre com a gente (risos).
• Uma lembrança de infância: Acordar nos finais de semana com meu pai ainda morando aqui em casa. A bagunça de quando a gente era criança e ficava todo mundo junto, eu sinto saudade disso. 
• O que a irrita? Pessoas pessimistas.
• O que ou quem é o maior amor de sua vida? Thaia, minha sobrinha.
• O que você considera a sua maior conquista? Fazer o que amo e poder ajudar a minha família com o meu trabalho.
• Qual é o seu maior tesouro? Minha mãe, minhas irmãs e minhas sobrinhas. As 4 pessoas que me esperam em casa sempre!
• Defina-se em uma palavra: Pode ser em uma frase? “À flor da pele”