Giselle Batista reserva novidades

A atriz busca independência no trabalho.

Fotos: David Ludolf


Carioca de São Gonçalo, Giselle Batista começou a estudar teatro aos 14 anos. Posteriormente, formou-se em Artes Cênicas. Sua estreia na TV foi em “Malhação”, ao lado da irmã gêmea Michelle. Entre tantos trabalhos na televisão, no teatro e no cinema, Giselle agora está em “Apocalipse”, interpretando uma androide que parece muito uma humana na trama futurística. O fato de ter uma irmã gêmea já rendeu histórias curiosas, e é o que as duas contam  no canal do YouTube “GiMi”. Em entrevista exclusiva, Giselle falou sobre carreira e vida pessoal.

Costuma se apegar muito às personagens que interpreta? É sempre difícil deixar para trás uma personagem e não é nem uma questão de apego emocional. Nós vivemos quase que metade do nosso dia nisso, doando toda a nossa atenção para outra persona. É impossível não carregar as características para a nossa vida e, quando está na hora de seguir em frente para outra personagem, a gente se policia para não cair em uma repetição. Mas é tudo uma questão de experiência. Para mim uma mudança de visual, o jeito de vestir, ajuda muito. É um gatilho para ver as coisas por outro ângulo. Isso é um passo para que eu possa me desligar da personagem, assim, quando olho no espelho, não a vejo mais.

Michelle e você são gêmeas. Apesar da semelhança física, em quais pontos vocês se diferem, em relação à personalidade? Temos as nossas diferenças, mas são bem sutis. A maioria das pessoas que não nos conhecem nos tratam por oposição, assim como a maioria dos gêmeos são tratados. Acham que uma é mais simpática e a outra é antipática, uma tímida e a outra extrovertida e por aí vai. Não é bem esse o nosso caso, somos muito amigas e nossos gostos são parecidos, as diferenças aparecem na sutileza. Tem que chegar perto para descobrir. Não gosto de rotular nem a mim e nem a ela. Nem ninguém na verdade.

Aliás, como surgiu a ideia para criar o canal “GiMi”? A ideia surgiu da pressão que nossos amigos faziam, haha. Eles sempre diziam que a gente deveria ter um canal no YouTube. As pessoas têm bastante curiosidade sobre a vida dos gêmeos e sempre fomos muito criativas e gostamos de contar histórias. Colocamos no papel todas as ‘possibilidades’ e analisamos durante um bom tempo, até que ano passado decidimos colocar em prática. Foi um ano de reencontro para nós, pois, após 10 anos, tínhamos voltado a atuar juntas na televisão, então não haveria época melhor para isso.

Na Record você está no seu segundo papel em uma produção bíblica. Qual a sua relação com a fé? Sou uma pessoa de fé. Demorei para enxergar isso, mas sou sim. Não sigo nenhuma religião, mas respeito todas. Minha família é católica, então quando era mais nova tive uma relação mais próxima com a religião. Hoje acredito muito em energia, em Deus também, na natureza e em todas as coisas. A fé está no nosso dia a dia, ao nosso redor. Fazer parte deste universo de novela bíblica e poder interpretar essa história é muito gratificante. Estamos mexendo com a paixão de vários públicos, é algo muito importante. O livro mais publicado do mundo.

Como foi a preparação para interpretar uma androide em “Apocalipse”? Eu me espelhei um pouco em obras como ‘Ghost in the Shell’ e ‘Westworld’. Ela não é uma androide estereotipada, dura e robótica, muito pelo contrário, é quase humana. Melina tem algo um pouco mais duro, digamos que menos humano que em ‘Westworld’. No mais, conversei bastante com os diretores para entender o que eles queriam dela, assim vou criando a cada contato que tenho com a personagem também. É muito interessante essa relação do ser humano e da tecnologia que a novela coloca, até que ponto a interação entre eles pode ir.

Tem algum trabalho que você queira muito fazer? Nossa, tem muitos papéis que quero fazer… Acredito que personagens extremas à mim são sempre bem-vindas, pois me desafiam como profissional. Mas gostaria de fazer mais cinema, é uma área que gostei bastante de trabalhar. Quero muito me experimentar mais nas telas grandes.

Qual foi o trabalho que mais te marcou? Por quê? Todos os trabalhos são significativos, pois, cada um deles representa um estágio de vida em que estava, tanto profissional como pessoal. Acredito que a Isadora, de ‘Cheias de Charmes’, tenha sido uma personagem bem marcante porque teve um alcance de público muito grande e trouxe muita projeção para mim. Mas os projetos pontuais que fiz ao lado da minha irmã, Michelle, também têm um espaço em meu coração, haha. ‘Malhação’, ‘Clandestinos’, o longa ‘Zoom’… Cada um deles ajudou a ser a profissional que sou hoje.

Como cuida do corpo e da mente? Para mim, os dois se completam o tempo todo. Corpo são, mente sã. Eu me exercito regularmente, vou à academia três vezes por semana, depende muito do roteiro de gravação. Também cuido da minha alimentação, sempre tive um cardápio muito balanceado e gosto de comer assim, me dá prazer. Cozinho regularmente minhas refeições. Me organizo e sempre tenho algo pronto e saudável na geladeira. E para mente funcionar bem, ler, ler, ler. Pensar coisas sobre novos ângulos. Reformular ideias e procurar aprender novas coisas.

Tem algum macete de beleza do qual não abre mão? Isso nem é macete, considero o básico: tirar sempre a maquiagem e hidratar a pele. Tirar sempre. Mesmo depois da festa que você chegou de madrugada e exausta. Uma pele boa é essencial pra mim.

Em relação à moda, você se mantém ligada nas tendências? Eu amo moda, sou bem ligada ao assunto. Porém, não fico obcecada em acompanhar todas as tendências não, até por conta da minha agenda corrida. Uso o que me valoriza. Se tá na moda e não cai bem no meu corpo, eu dispenso. Adoro ver desfiles, acompanhar stylists. Moda tem que ser divertida também. Adoro criar looks pra mim.

Quais são os projetos para o futuro? Por enquanto estou bem focada na novela, que tem tomado parte do meu tempo, e no canal ‘GiMi’, que toma o restante do meu dia, haha. Mas tenho em vista alguns projetos para o segundo semestre dos quais ainda não posso revelar muito por estar em fase de produção. Mas com certeza boas coisas virão!

Ping-Pong

• Nome: Giselle Batista
• Idade: 31 anos
• Local de nascimento: São Gonçalo, Rio de Janeiro
• Altura: 1,69
Apelido: Gisa, Gi, Gorda
• Qual é sua maior qualidade?: Hm, acredito que seja a minha mente aberta para novas ideias e conceitos.
• E seu maior defeito?: Taurina teimosa (quase o oposto, né?).
• O que você mais aprecia em seus amigos?: Lealdade. Eles estão comigo para o que der e vier.
• Sua atividade favorita é: Cozinhar com amigos ouvindo música boa.
• Qual é sua ideia de felicidade?: Continuar desenvolvendo a minha arte e estar rodeada de pessoas que amo o tempo todo, haha.
• Quem você gostaria de ser se não fosse você mesmo?: Queria ter sido um rock star Freddie Mercury. Não deve ter nada mais incrível no mundo.
• E onde gostaria de viver?: Eu amo o Rio de Janeiro, mas não me importaria nem um pouco em morar em São Paulo, haha. Amo SP. Quem sabe NY?
• Qual é sua viagem preferida?: A mais recente e com as melhores paisagens foi para o Havaí. Lindo demais!
• Qual é sua cor favorita?: Depende muito do meu dia, mas sou uma mulher que ama cores!
• E qual é sua comida favorita?: A de casa.
• Um animal: Cachorro pequeno.
• Quais são seus atores preferidos?: Muitos. Vou citar uma: Michelle Williams.
• E seus cantores?: Belchior, Milton Nascimento, Radiohead… tenho vários!
• O que você mais detesta?: Ignorância.
• Que dom você gostaria de possuir?: Voar. Para chegar em Sampa bem rapidinho.
• Uma mania: Anotar tudo na agenda.
• Um sonho de consumo não realizado: Uma casa no Rio para os meus pais.
• Uma lembrança de infância: Fazer sacolinha surpresa de festa de aniversário.
• O que a irrita?: Falta de comprometimento.
• O que ou quem é o maior amor de sua vida? Minha irmã.
• O que você considera a sua maior conquista? Viver exclusivamente da minha arte.
• Qual é o seu maior tesouro? Minha família
• Defina-se em uma palavra: Leal