Rayssa Bratillieri poderia ter sido engenheira

Jovem, a atriz decidiu trilhar o próprio caminho profissional.

Fotos: Lucio Luna
Stylist: Bruna Geballi
Beleza: Michelle Dias


Rayssa Bratillieri, aos 20 anos de idade, mostra-se uma garota determinada. Nascida no Paraná, de uma família de engenheiros, chegou a se interessar pela área, mas na verdade o seu coração sempre bateu mais forte pela arte. Contrariando a expectativa de alguns, resolveu ir para o Rio de Janeiro para seguir seu sonho de estudar teatro. Conquistou seu espaço e agora faz parte de “Malhação: Vidas Brasileiras”, no papel de Pérola. Em entrevista exclusiva, ela falou sobre a trajetória profissional e revelou vontades. 

Como surgiu o interesse pela atuação? Desde que eu me conheço por gente esse interesse esteve dentro de mim. Pequena, participava das peças que aconteciam no meu colégio e vivia pra lá e pra cá dentro da minha casa vestindo fantasias e criando personagens. Agora, sobre isso ser minha profissão, digo que há um momento que temos que escolher caminhos. A vida é feita disso. E eu escolhi consciente de que era disso que eu queria viver, de arte. E que iria tentar – e eu era tão jovem- ter êxito e sem bem sucedida sim. Nunca vou dizer que a arte me escolheu, eu a escolhi, sem sobra de dúvida.

Na sua família tem muitos engenheiros. Como eles receberam que você queria fazer algo tão diferente da área? A gente não sabe o que passa na cabeça das pessoas, rs. Mas sei que meus pais foram criticados por deixarem uma menina de 17 anos ir pro Rio de Janeiro estudar teatro. E eu sempre digo, ainda bem que eram eles os meus pais e nenhuma outra pessoa. Eu não estava nem aí. Se a gente ligar para o que outros acham, a gente esquece de quem a gente realmente é. Cada ser é único, que vê e traduz o mundo de um forma… E tudo bem também.

Pra algumas pessoas era loucura, mas pra mim era o certo. Vai entender. Meu pai relutou, minha mãe apoiou, ele disse ”não” e ela disse um ”SIM” em maiúsculo. Ele só estava com medo e eu entendo, mas ela tinha medo que eu não fosse feliz ali. Minha irmã havia saído de casa pra estudar em Santa Catarina alguns anos antes, pra ela sim, foi difícil convencer meu pai, eu só queria seguir os passos dela e voar também. Minha mãe tem uma frase linda que ela sempre diz: ”A gente cria filho pro mundo.” Hoje os dois estão muito orgulhosos, e isso é tão gratificante. É e sempre será a minha meta.

Já pensou em seguir outra carreira? Qual? Astronauta claro, quem nunca? Criei um personagem quando era pequena de que eu era uma professora, e fiquei na dúvida se aquilo era teatro ou se eu queria ser realmente uma professora. Loucura! Rs. Pensei em ser engenheira na época do ensino médio, em que a gente tem que ”escolher” o que vamos fazer e fica um chamariz em cima das faculdades de engenharia, direito ou medicina. Eu adorava matemática, cheguei a prestar vestibular de Eng. Civil e até a passar em uma universidade. Só que não era pra mim, não me via trabalhando com isso. Mas não descarto possibilidades de nada. Sei que daria um ótima empreendedora. Adoro o mundo dos negócios.

Como foi a adaptação no Rio de Janeiro? Difícil. Difícil ficar longe da família, a solidão, a dúvida, aprender a fazer comida, ter que fazer comida mesmo quando você chega tarde em casa cansada e se não fizer, vai ficar sem comer, lavar roupa na mão, não ter colo de mãe pra chorar, etc.. Mas não trocaria por nada. Me descobri, me conheci, amadureci e falo pra todo mundo não perder a oportunidade de mudar de cidade, de país e ir morar sozinho.

Sobre “Malhação”, como é? Fale um pouco sobre a rotina de gravações. É corrido, e não tem esse glamour que pensam. Gravamos muito de segunda á sábado. E eu chego em casa normalmente a noite e vou fazer o que? Adivinhem! Estudar. Mas é muito divertido também, a equipe e o elenco são queridos e talentosos. Fico um dia sem gravar, e já fico com saudade.

Como você enxerga o retorno do público com a personagem? Eu AMO ver o que estão falando, olho direct, twitter, comentários, tudo que posso. Acho importante esse feedback. E posso dizer que estou adorando todos os comentários que recebo. Todo mundo tem uma relação de amor e ódio com a Pérola. E isso era o que eu estava buscando mesmo. Multiplicidade. Ambiguidade. O ser humano é assim. Cheio de nuances e curvas. A Pérola não é boa o tempo todo, mas ela também não é má o tempo todo. Isso é interessante. Recebo muitas mensagens de pessoas falando que estão assistindo por minha causa, e só me resta agradecer.

Fale um pouco sobre a Pérola. Onde você se identifica e se opõe a ela? Não acho que o personagem seja alguém fora de mim. Pensar assim só te distancia da verdade. Acredito que sejam aspectos/vozes minhas que eu não revelo pra sociedade. Isso faz ser muito mais rico pra mim como atriz e ser humano, porque eu me descubro através da arte.

Pérola é um aspecto dominador, mimado e carente da Rayssa. Ela é orgulhosa e tem uma necessidade de chamar atenção de alguma forma. Mas isso tudo porque ela nunca se sentiu realmente amada. E se algum momento (e tem vários) em que eu, Rayssa, não tomaria a atitude que a Pérola tomou eu me perguntou. O que eu teria que acontecer comigo (Rayssa) pra eu agir assim? Isso te faz olhar pra si. Essa forma me faz buscar verdade pra cena.

O que te inspira na profissão? A arte nos desbloqueia, é uma forma de autoconhecimento. E autoconhecimento é evolução. O que mais me inspira é saber que posso fazer minha revolução humana, que posso evoluir, que posso ser melhor e inspirar outras pessoas através dela. Criar um personagem faz a gente olhar pra dentro da gente, e nesse quesito que digo que conhecemos nossa sombra e nosso amor, maldade e bondade. Ignorância é não saber a quantidade de camadas que existe dentro de nós. E isso é em qualquer profissão, cada ser humano tem que entender o porquê faz aquilo que faz e de forma ele vai ser melhor pra ele e pra outras pessoas. Cada pessoa nasceu pra fazer algo e contribuir para o mundo com essa sua paixão. Seja lá qual for.

Qual o trabalho dos seus sonhos? Não tenho personagem dos sonhos. O Universo vai me mandar o que é necessário pra eu aprender naquele momento com aquele personagem. Nada é por acaso. Por enquanto sem personagem dos sonhos. Se aparecer um eu conto pra vocês. Quero fazer cinema! Quero muito fazer cinema!

Quais são seus hobbies? Queria saber se dormir até tarde é um hobbie! Rs Adoro ler um bom livro, ir ao cinema, ir a praia e aprender a surfar com meu namorado. Eu medito, adoro ficar tranquila em casa e de vez em quando dou uma de cozinheira.

Possui um ritual de beleza? Ritual para beleza é saber quem é você, como você gosta de se vestir, como você gosta de deixar o seu cabelo e se você gosta de passar batom vermelho logo pela manhã ou não. Beleza é confiança em você. É atitude. E pra mim é sorrir.

Qual a sua relação com a moda? Não sei muito bem como responder essa pergunta. Sempre gostei de estar confortável e bonita. Sou apaixonada por roupa mas nunca comprei mais que o necessário. Até porque não dava. Rs Sou ligada no que está na moda. Mas nem por isso uso tudo o que está na moda. Faço a minha própria moda!

Quais os planos pessoais e profissionais para o futuro? Quero estudar mais sobre atuação e também outras áreas de arte. Pretendo engajar em um próxima trabalho assim que terminar Malhação. Mas ainda sim ter um tempinho pra viajar pra fora do país. Pretendo viajar MUITO!

Ping-Pong

• Nome: Rayssa
• Idade: 20
• Local de nascimento: Apucarana – PR
• Altura: 1,68
• Apelido: Ray ou Ra.
• Qual é sua maior qualidade? Eu sempre quero ser melhor.
• E seu maior defeito? Tenho um ego alto.
• O que você mais aprecia em seus amigos? Verdade.
• Sua atividade favorita é: Comer e Atuar
• Qual é sua ideia de felicidade? Felicidade está dentro de mim, independente do que esteja acontecendo aqui fora, independente de onde e com quem eu estiver.
• Quem você gostaria de ser se não fosse você mesmo? Gosto muito de ser eu. Mas adoraria ser a Meryl Streep.
• E onde gostaria de viver? Numa cabana na Austrália.
• Qual é sua viagem preferida? Que eu já fiz? O que eu vou fazer? Que eu já fiz: Florianópolis. Por sinal minha última viagem. Que foi incrível, cheia de pessoas incríveis e que faz a gente da valor simplesmente por estar ali. Que eu vou fazer? Tailândia ou Austrália. Não fui ainda, não sei dizer.
• Qual é sua cor favorita? Azul
• E qual é sua comida favorita? Strogonoff
• Um animal: Cachorro
• Quais são seus atores preferidos? Meryl Streep, Audrey Tautou, Fernanda Montenegro,Viola Davis, Marlon Brando, Wagner Moura, Mateus Narthegale.. Alguns poucos de muitos!
• E seus cantores? Djavan, Caetano Veloso, Maria Gadú, Clarice Falcão…
• O que você mais detesta? Meu dedão encravar.
• Que dom você gostaria de possuir? Voar.
• Uma mania: Mexer no cabelo. A galera da continuidade pira.
• Um sonho de consumo não realizado: Viajar o mundo.
• Uma lembrança de infância: Eu ficava duas horas montando uma casa da Barbie na sala da minha casa. E quando chegava a hora de brincar realmente eu já estava cansada.
• O que a irrita? Lerdeza.
• O que ou quem é o maior amor de sua vida? Minha família, sem dúvida.
• O que você considera a sua maior conquista? Não depender mais financeiramente dos meus pais.
• Qual é o seu maior tesouro? Gohonzon. Meu pergaminho do Budismo de Nitiren.
• Defina-se em uma palavra: Louca e feliz. Pode ser duas palavras? HAHA

Assessoria de imprensa: Márcia Dornelles
LOOK 1
– Body e Short Obbia
– Jaqueta Reserva Natural
LOOK 2
– Moletom Douglas Harris ​
– Short Zinsk
– Bota Tutu Sapatilhas
LOOK 3
– Blusa Nina
– Short Zinsk
– Bota Tutu Sapatilhas
– Jaqueta Nerto Fine