Thuany Parente faz de tudo pela arte

Artista fala sobre paixões e revela maior medo.

Foto: Rodrigo Lopes
Make: Caty Pires
Styling: Marlon Portugal


Desde pequena Thuany Parente tem contato com os palcos, e foi através de brincadeiras que a menina acabou se descobrindo na arte. Atuando na adolescência, encantou-se de vez com o universo dos musicais. Em “Apocalipse” ela vive Alice, personagem apaixonada pela arte. A atriz falou com exclusividade sobre a relação com a arte e música, planos para o futuro e mais.

Seu interesse pela música surgiu através do seu pai. Mas e sobre a atuação, como foi? Morava numa casa enorme e meus pais decidiram transformar o primeiro andar em casa de festas. Estávamos muito apertados nessa época. Acabou que os responsáveis por um curso de teatro gostaram do espaço e resolveram alugar a cara para as aulas.

Eu tinha 7 anos na época e vivia decorando falas das princesas da Disney e me apresentando para a família. Também adorava fingir que estava chorando para ver se conseguia ser convincente a ponto do meu pai acreditar! Meus pais viram essa energia criativa em mim e acharam que seria boa ideia me colocar nesse curso. Deu no que deu! (risos)

Quais as maiores dificuldades encontradas na carreira artística? Acho a incerteza da profissão muito cruel. Vivemos numa eterna roda gigante. Sempre quando achamos que demos uma estabilizada, voltamos ao zero. É difícil fazer planos. Você não sabe nem onde vai estar morando no mês seguinte.

Outra dificuldade é não cair numa “zona de conforto artística”. Sabe aquela coisa de ser um “ator de um papel só”? É meu maior medo! Colocar a persona na frente da personagem. Sempre busco mudar bastante entre um trabalho e outro. Às vezes, acaba sendo mais prático manter uma fórmula que deu certo. Mas artista não combina com fórmula, né? (risos). Precisamos nos reinventar sempre!

Em quais pontos você se identifica e se opõe à Alice? Me identifico no amor à arte, principalmente. E minha família também é religiosa, meu avô é pastor, então sei o que é viver num ambiente mais tradicional. Felizmente, minha família foi muito mais tolerante do que a da Alice. Mas me oponho muito na questão da mentira. Detesto. Minha mãe me ensinou desde cedo a não mentir. Se ela descobrisse alguma mentira, o castigo era dobrado. Isso me ensinou que é sempre melhor falar a verdade, por pior que seja no primeiro momento.

Fale um pouco sobre a diferença na preparação para uma peça e uma novela. São mundos completamente diferentes! Numa peça, você já sabe todo o percurso da personagem. Sabe como começa e como termina. Você passa os ensaios maturando aquele texto na sua boca e no seu corpo. Experimenta intenções, erra, acerta, descobre contrapontos. Já na novela, você se prepara buscando entender o personagem com alguns dados que o autor te fornece antes e depois vai criando intimidade com aquele indivíduo ao longo de trama. É uma relação muito diferente. Toda vez que eu achava que tinha entendido a Alice, ela me aparecia com alguma surpresa e eu tinha que desconstruir tudo. Foi uma delícia! É revigorante conhecer essa outra forma de atuar.

Que tipo de música você curte? Gosto de tudo! Um dia estou ouvindo punk rock, no outro, música clássica, passo pelos hinos da Tropicália… Vai muito de como estou me sentindo naquele momento, ou período. Mas gosto de arranjos ricos em sonoridade, adoro explorar vocais, linhas melódicas. Gosto de viajar ouvindo música.

O que te inspira no trabalho? Gosto das sutilezas, gosto de quem fala com entusiasmo sobre o que quer que seja. Isso me encanta. E pessoas apaixonadas pelo ofício. Eu acho isso lindo, seja qual for a área. Enfim, o ser humano me inspira, né? Não é à toa que faço um tributo às suas imperfeições no meu trabalho!

Qual é a sua relação com a moda, acompanha as tendências? Acompanho sim. Estou sempre ligada no que está por vir. Ano passado, por exemplo, todo mundo me zoou porque eu cismei que queria uma bota branca. Esse ano tem em todas as vitrines, rs. Mas gosto de adaptar a moda ao meu próprio estilo. Não gosto de me sentir “montada”, sabe? Como um manequim ambulante… Aquilo que visto tem que expressar quem eu sou, como eu estou me sentindo.

Como cuida do corpo e da mente? Bebo água e faço exercícios regularmente. Adoro yoga. Para a mente, acho que não tem nada melhor do que rir, então me cerco de amigos divertidos e adoro sair pra conversar. Ler algum livro bacana também é uma boa pra exercitar a mente. Expande muito nosso mundo!

Tem algum macete de beleza do qual não abre mão?  Nossa, vários! Sou super certinha quando o assunto é beleza! Não saio de casa sem filtro solar de jeito nenhum, uso religiosamente todos os meus creminhos e faço drenagem linfática toda semana com minha fisioterapeuta, Keli Fernandes. Ah, e durmo com óleo de coco no cabelo uma vez por semana! Ufa, rs.

Quando a rotina fica mais pesada ou estressante, qual a sua válvula de escape? Tomar banho e dormir! Rs. Sento debaixo do chuveiro e fico pensando na vida, me ajuda a relaxar. E dormir também é ótimo. Nada melhor do que descansar a mente para encontrar a melhor maneira de agir.

Quais os planos para depois da novela? Quero concluir a faculdade de psicologia, voltar para o teatro, fazer outra novela… Basicamente abraçar o mundo! (risos). Mas sério, queria muito produzir um espetáculo com amigos meus, fazer algo que tenha a ver com a minha identidade artística. Mas sinto vontade de continuar explorando esse mundo das câmeras, me apaixonei por essa linguagem!

Ping-Pong

• Nome: Thuany Scheidegger Parente
• Idade: 26 anos
• Local de nascimento: Rio de Janeiro
• Altura: 1,68m
• Apelido: Thu, Thuthu
• Qual é sua maior qualidade? Sou muito leal àqueles que amo.
• E seu maior defeito? Sou mega tímida com desconhecidos.
• O que você mais aprecia em seus amigos? Senso de humor e caráter.
• Sua atividade favorita é: Amo dirigir e cantar ao mesmo tempo. Sensação de liberdade!
• Qual é sua ideia de felicidade? Sorrir antes de dormir. Quer síntese melhor?
• Quem você gostaria de ser se não fosse você mesmo? Freud. Gênio da mente humana.
• E onde gostaria de viver? Num Rio de Janeiro sem violência e desigualdade.
• Qual é sua viagem preferida? Fiz uma viagem pela Europa em 2014 que me deixou encantada. Amo conhecer outras culturas.
• Qual é sua cor favorita? Estou num momento rosa. Até meu sofá é rosa, rs.
• E qual é sua comida favorita? Gnocchi. Com o molho que for.
• Um animal: Gato.
• Quais são seus atores preferidos? Liv Ullmann, Ricardo Darín, Marilyn Monroe, Fernanda Montenegro, Marília Pêra.
• E seus cantores? Lana Del Rey, Aurora, Caetano Veloso, Björk.
O que você mais detesta? Mentira.
Que dom você gostaria de possuir? Ler mentes.
Uma mania: Cantar alto os backing vocals das músicas que estou ouvindo no fone. Vergonha!! 
Um sonho de consumo não realizado: Viajar o mundo todo é um sonho de consumo?
Uma lembrança de infância: Minha avó me colocando para dormir.
O que a irrita? O jeitinho brasileiro de sempre tentar se dar bem às custas dos outros.
O que ou quem é o maior amor de sua vida? Minha arte. Faço tudo por ela.
O que você considera a sua maior conquista? A sensação de que a Thuany de 7 anos teria orgulho de mim!
Qual é o seu maior tesouro? Minhas lembranças.
Defina-se em uma palavra: Atípica.